FILMES SEM SAPATO

A FILMES SEM SAPATO é uma produtora brasileira independente de conteúdo audiovisual criada em 2015 com a intenção de fazer uma longa expedição criativa pelo mundo das imagens. Fundada por João Toledo e Laila Pas, a Filmes sem sapato iniciou sua jornada com o curta-metragem COMO SÃO CRUÉIS OS PÁSSAROS DA ALVORADA (Cruel Birds of Dawn), dirigido por João, que foi exibido em diversos festivais de cinema no Brasil. Produziu também os curtas-metragens TEACHER (João Toledo, em finalização), O QUE FICA (Laila Pas, disponível online), LONG BUENO (Abílio Dias, exibido no 46th International Film Festival Rotterdam), WIND PRINCESS (Chris Tex, em finalização) e TEA FOR TWO (Julia Katharine, exibido e premiado em diversos festivais nacionais e internacionais de cinema), e o longa-metragem APTO 420 (de Dellani Lima, exibido em festivais brasileiros e hoje disponível no Youtube). Atualmente, a produtora desenvolve e produz o projeto de longa-metragem DESINVENTÁRIO, com roteiro e direção de ambos os sócios, e também podcasts e conteúdos audiovisuais para internet tanto dos sócios quanto de parceiros.

JOÃO TOLEDO

João Toledo é roteirista, diretor e montador de cinema. Foi mestrando em Cinema pela Escola de Belas Artes da UFMG. Escreveu para a revista Filmes Polvo de 2007 a 2014 e já colaborou para diversas publicações, entre revistas, livros de ensaios e catálogos de mostras. Integrou a comissão de seleção do Festival de Curtas de Belo Horizonte de 2011 a 2014e foi curador da "Mostra Retrospectiva Brian de Palma", de 2014, pela Caixa Cultural. Como montador, assina episódios da série de TV "BR14 - A Rota dos Imigrantes" (TV Brasil), o longa-metragem de documentário "Como Fotografei os Yanomami", de Otávio Cury, além de outros curtas-metragens tanto de parceiros quanto de sua autoria. É co-diretor e ator dos longas-metragens "Estado de Sítio" (2011) e "Aliança" (2014), período em que também dirigiu seus primeiros curtas-metragens. É sócio-fundador da Produtora Filmes sem sapato, pela qual roteirizou e dirigiu os filmes "Como são cruéis os pássaros da alvorada" (2015) e "Teacher" (em finalização). Atualmente desenvolve o projeto de longa-metragem "Desinventário", e podcasts.

LAILA-BASIC-01X.jpg

LAILA PAS

Laila Pas, graduada em São Paulo em 2010 no curso de Cinema da FAAP, assina a produção de variados projetos de longas, curtas e séries. Entre os trabalhos mais recentes, destacam-se os longas-metragens de ficção "Cidade Pássaro" (de Matias Mariani, que estreou no Festival de Berlim de 2020 e está atualmente disponível na Netflix), e "Última Cidade" (de Victor Furtado, que teve sua premiere mundial no festival Cine Ceará em 2020), dos quais foi coordenadora de produção e diretora de produção respectivamente. Também os longas documentais "Como fotografei os Yanomami" (de Otávio Cury, atualmente disponível no Vimeo On Demand) e "Mundo Escondido" (de José Menezes, atualmente disponível no Prime Video), dos quais também foi diretora de produção; a série "A Vida Secreta dos Casais 2 - HBO" (criada por Bruna Lombardi), da qual foi coordenadora de produção; e o curta-metragem "Tea For Two" (de Julia Katharine, premiado em diversos festivais e o primeiro filme dirigido por uma pessoa trans a ser exibido em circuito comercial no Brasil), uma produção associada da Filmes sem sapato, da qual é sócia-fundadora. Em 2019, lecionou produção audiovisual na Vila das Artes, escola de artes vinculada à Prefeitura de Fortaleza, em 2020 ministrou um curso de produção no Instituto Núcleo de Cinema, em São Paulo, e em 2021 lançou seu curso SONHAR E PRODUZIR CINEMA - Online. Laila é também atriz e cantora, tendo atuado em filmes como o longa-metragem "Permanência" (Leonardo Lacca), atualmente disponível na Netflix Brasil, e pelo qual ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante no 19º CinePE.